domingo, 12 de março de 2017


Tu dás o primeiro passo e a vida ajuda-te a fazer o resto. 
Dás o salto e a rede aparece.
 Pões aquele ponto final e abre-se um novo parágrafo. 
Perdoas os erros e a vida torna-te mais tolerante. 
Manténs os pés firmes no chão e encontras o teu caminho.
 Amas sem pedir nada em troca e vives o amor para o resto da vida. 
Cuidas mais de ti, e do que é essencial, e aprendes a praticar o desapego. 
Deixas de te preocupar com o que não tem fundamento e percebes que é o silêncio que confunde. 
Conjugas a paz na primeira pessoa do plural e aprendes que é ela o princípio, o meio e o fim de todas as coisas.



Autor Desconhecido 
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...