quarta-feira, 20 de novembro de 2013





Adormeço tropeçando

no desejo

encostada ao teu pescoço



Respirando o teu dormir

ou bebendo devagar

o ácido cheiro do teu corpo

.

Maria Teresa Horta

terça-feira, 19 de novembro de 2013


“O amor maltrata-nos, atormenta-nos, tortura-nos, ao mesmo tempo que é, também, o nosso cântico, o nosso deslumbramento, a nossa apoteose.”


Annie Leclerc

às vezes sinto como se:



"Como se a alegria recolhesse a mão, pra não me alcançar."




Los Hermanos

A tua boca cala espinhosos incômodos que carregam as vozes das minhas saudades.






(Guilherme Antunes)

domingo, 17 de novembro de 2013

Desfruta do meu corpo....


Desfruta do meu corpo
Como se o meu corpo
Fosse a sua casa.



Chico Buarque

O que tu viste breve,
O que tu viste inútil
Foi o que viram os teus olhos humanos,
Esquecidos…
Enganados…
No momento da tua renúncia
Estende sobre a vida
Os teus olhos
E tu verás o que vias:
Mas tu verás melhor… 


Cecília Meireles

Você é uma boa notícia.


Desenhei você dentro da esperança mais casta. 
E te esperei na manhã inaugurada pela paciência cultivada. 
Sei que precisava estar pronta enquanto o seu ser se preparava para ter coragem porque você sabe dos meus longos voos e da intensidade de cada mergulho. 
Escrevi nossa história em páginas de amor reciclado. 
Reaproveitei meu passado até deixá-lo ir: fiquei com o aprendizado. 
E guardei todo o espaço em branco para que preenchêssemos juntos. 
Inteiros. 
Certeiros na carícia arrendondada de cada frase. 
Incoerentes, mas coesos. 
Pacientes, mas entusiasmados. 
E, agora sabes que, juntos, teremos todas as licenças poéticas para, de mãos dadas, fluir lado a lado.
Te recebo, aceito e agradeço.

Você é uma boa notícia.


Marla de Queiroz

domingo, 10 de novembro de 2013


Disseste que se tua voz tivesse força igual
À imensa dor que sentes
Teu grito acordaria
Não só a tua casa
Mas a vizinhança inteira.


Legião Urbana 

DEIXEI DE OUVIR-TE...


DEIXEI DE OUVIR-TE. 
E SEI QUE SOU 
MAIS TRISTE COM O TEU SILÊNCIO.

PREFERIA PENSAR QUE SÓ ADORMECESTE; 
MAS SE ENCOSTAR AO TEU PULSO O MEU OUVIDO 
NÃO ESCUTAREI SENÃO A MINHA DOR.

DEUS PRECISOU DE TI, BEM SEI. 

E NÃO VEJO COMO CENSURÁ-LO

OU PERDOAR-LHE...




Maria do Rosário Pedreira

domingo, 3 de novembro de 2013

EsquecimentO


ninguém esquece um corpo que teve
nos braços um segundo – um nome sim.



Maria do Rosário Pedreira

Só a tua lava me lava...


Só a tua lava me lava.
Resto eu em ti
terra ardendo,
chão de água e fogo.

Abraça-me.
Abrasa-me.


Mia Couto,

e tu sussurras:- não, não afastes a boca da minha orelha.
derrama dentro dela aquilo que não consegues dizer em voz alta.
e eu digo:
- as tuas mãos queimam-me a fala.
tu sorris, dizes:
- vem , sem medo, pela aridez do meu corpo.
no fundo de mim existe um poço onde guardo a tua imagem. é tempo de te devolver. 
é tempo de te reconheceres nela.



Al Berto

e, queima, o toque dos teus dedos...


Tenho o nome de uma flor
quando me chamas.
Quando me tocas,
nem eu sei
se sou água, rapariga,
ou algum pomar que atravessei.


Eugénio de Andrade

Tenho as coisas escritas
no peito, o teu nome. 
Nada tem que ver
com o coração, muito menos com sentimentos.
O teu nome está-me escrito nos sinais, sobre a pele.
A tinta, desenhos de círculos castanhos
assinalando lugares.
O meu mapa genético tem uma única localidade.
Dizer o nome dela é chamar-te.
Chamar-te é encontrar a minha morada.



Inês Fonseca Santos

sábado, 2 de novembro de 2013

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...