sábado, 24 de fevereiro de 2018

Lembrete à pressa:


" - A vida não é um cavalo, 

não se pode obrigá-la a avançar

 à chicotada."




 Gorki

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018


Alguma coisa me consome
Fumo de mais
Bebo de mais
Morro de menos




Heiner Müller

domingo, 18 de fevereiro de 2018


estava ali, casa arrumada
ar condicionado ligado, 

até abrir a janela:

voaram certezas para todos os lados



A. S.


é tão fácil amar lugares
que não existem




recordar praças e pontes e travessas
onde nunca morremos por ninguém




quartos na penumbra de estores corridos
sobre a sonolência dos gatos em agosto
onde nunca chegámos atrasados




o tampo de mármore de mesas de café
onde as nossas mãos não se esconderam
por alguém ter entrado antes de nós




é tão fácil lembrar nomes e rostos e destinos
e colocá-los em nossos ombros e festejar com eles
as luminosas horas em que a vida
nos rodeava a cintura como um amante possessivo
e nós repetíamos o nome das cidades
onde nada disso tinha acontecido




é tão fácil assim
dizer adeus
sabendo que deus nem sequer assiste
à despedida



Alice Vieira

sábado, 17 de fevereiro de 2018


«eu não parava de falar. 

narrava minúcias biográficas, lembrava teoremas de geometria, dizia-te os nomes das árvores. 

eu queria dizer-te tudo. 

tudo o que sabia e tinha aprendido durante anos talvez ainda servisse para alguma coisa. 

julgava eu que era a maneira mais segura de te prender a mim porque uma coisa pede outra, uma palavra pede outra palavra, uma história outra história, um fim outro fim. 

e enquanto não terminasse tu ias querer saber o resto.»





pedro paixão

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Ah Nando Reis ♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫


♫♫♫
Se não sabe

Se afaste de mim

Mas se ainda cabe

Me abrace, enfim




Só ligue se tiver vontade

Só venha se quiser me ver

Mentir é pura vaidade

De quem precisa se esconder
♫♫♫





Luz Antiga - Nando Reis

sábado, 10 de fevereiro de 2018


Como as gaivotas 


Atravessando o temporal


aprendemos a planar. 


Sobrevoar a vida


para avançar usando 


a violência do vento. 


Tal como as gaivotas. 





Joan Margarit

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018


Afinal, todos queremos no peito, o nó de um outro peito, o devolver da metade que perdemos ao nascer.




Mia Couto

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018


E ao fim do meu dia
a matéria de que se faz a minha vida

de novo abandonada
de novo de novo abandonada
pergunta-me silenciosa

se ao apagar da luz
a vida terá princípio.








Pedro Tamen

domingo, 28 de janeiro de 2018


Deixei de estar disponível, perdoa-me

se cultivo regularmente a saudade do meu próprio corpo




Al Berto

sábado, 27 de janeiro de 2018


chove mais uma vez 
a infância é um pássaro aceso nos ramos das árvores 
um território de meteoros incendiados
numa bacia de plástico com água da chuva



José Carlos Barros
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lembrete à pressa: